Aprenda A Construir Uma Url Em cinco Passos Fáceis E Sem custo


Quais Destes Desafios São Prioridades?


Hossein Derakhshan, 40, considerado "o pai dos blogueiros do Irã", foi confinado em 2008 e sentenciado por "cooperação com países hostis, propaganda política e insulto a figuras religiosas", em consequência a das publicações em sua página. Ele deixou a prisão em novembro de 2014 e nesse ano publicou um texto pela plataforma Medium em que critica as modificações na web, como a explosão do uso das mídias sociais.


Leia abaixo a íntegra do artigo. A rede livre, diversificada, rica que eu amava -e na qual passei anos numa prisão iraniana- está morrendo. Por que ninguém detém isso? Novas semanas antes disso, eu havia sido repentinamente perdoado e libertado da prisão de Evin, no norte de Teerã. Eu aguardava atravessar a maior parte da minha vida nessas celas: em novembro de 2008, havia sido condenado a quase 20 anos de prisão, basicamente por conta das coisas que tinha escrito no meu blog.


Mas no momento em que o momento da independência chegou, foi súbito. Eu fumava um cigarro na cozinha com um dos meus companheiros de prisão e voltava para a cela que dividia com uma dúzia de outros homens. Estávamos citando uma xícara de chá no momento em que a voz do alto-falante -outro prisioneiro- invadiu todas as celas e corredores. Em seu tom monocórdico, anunciou em persa: "Queridos companheiros de prisão, o pássaro da sorte pousou novamente nos ombros de um da gente. Sr. Hossein Derakhshan, a partir desse momento, você está livre". Essa noite foi a primeira vez em que saí por aquelas portas como um homem livre. Tudo parecia novo: a brisa fria do outono, o ruído do trânsito vindo de uma ponte próxima, o cheiro, as cores da cidade em que eu havia vivido durante a maioria da minha vida. Ao meu redor, vi uma Teerã muito diferenciado daquela a que estava acostumado.


Um influxo de condomínios novos e de mandeira descarada luxuosos havia substituído as casinhas encantadoras que eram familiares para mim. Algumas estradas, algumas rodovias, hordas de invasivos carros utilitários. Grandes cartazes com propagandas de relógios suíços e TVs coreanas de tela plana. Mulheres usando lenços e capas coloridas, homens com cabelos e barba tingidos, e centenas de cafés charmosos com a música ocidental do momento e funcionários do sexo feminino. É o tipo de modificação que pega as pessoas desprevenidas. O tipo de coisa que você só nota de verdade no momento em que é privado de levar uma existência normal. Duas semanas depois, comecei a publicar novamente. Alguns amigos concordaram em me deixar iniciar um blog como cota da tua revista de artes.


Eu o chamei de Ketabkhan -significa "leitor de livros" em persa. 6 anos foi um tempo longo pela cadeia, todavia é uma verdadeira eternidade no universo on-line. O ato de escrever na internet em si não mudou, mas a leitura -ou, ao menos, a ação de fazer com que as coisas sejam lidas- se alterou radicalmente.


  1. 1 MEI como fazer: siga os passos abaixo

  2. 3º Pelo Youtube

  3. cinquenta Pedido de remoção do estatuto de administrador pro usuário Chicocvenancio

  4. Use segmentação pra artigos orgânicos



As pessoas tinham me discutido a respeito de como as mídias sociais se tornaram significativas quando eu estava fora do circuito, deste jeito sabia de uma coisa: se queria atrair as pessoas a visualizar meus textos, neste instante teria de utilizar as redes sociais. Desse modo, tentei publicar um hiperlink pra uma das minhas histórias no Facebook.


Acontece que no Facebook isso não importa muito. Acabou parecendo um anúncio chato. Sem especificação. Sem imagem. Sem nada. Teve 3 "curtir". Ali ficou claro para mim que as coisas tinham mudado. Não estava preparado pra jogar por esse novo território -todos os meus investimentos e esforços haviam virado pó. Os sites eram ouro e os blogueiros eram estrelas de rock em 2008, quando fui preso. Naquele momento, e apesar do fato de o Estado bloquear o acesso ao meu site dentro do Irã, tinha um público de cerca de vinte 1 mil pessoas todos os dias.


Todo o mundo que eu linkava tinha um sério salto repentino no número de tráfego: podia consolidar ou fazer problemas a quem eu quisesse. As pessoas costumavam ler meus postagens atentamente e deixar muitos comentários pertinentes, e até já diversos daqueles que discordavam de mim profundamente entravam para ler. Outros sites linkavam o meu para debater o que eu estava compartilhando.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *